Existem muitas dúvidas em relação a possibilidade de gravidez após câncer de mama. Isso porque, alguns tratamentos da doença impactam diretamente na fertilidade da mulher. Por conta disso, muitas mulheres acham que o sonho de ser mãe chega ao fim.

Contudo, é possível sim engravidar depois desse tipo de distúrbio. E hoje nós vamos abordar algumas questões sobre o tema. Continue lendo esse post e confira!!!

O tratamento do câncer é prejudicial para gestação?

A gravidez após câncer de mama acaba sendo mais difícil de acontecer, mas não impossível. Isso porque, um dos efeitos colaterais dos tratamentos quimioterápicos contra a doença é justamente redução da reserva de óvulos.

Consequentemente, a mulher que passou por esse tipo de tratamento tem mais chances de ter menopausa precoce e insuficiência ovariana. Segundo especialistas, cerca de 90% das mulheres não consegue ter filhos de formas natural depois de vencer o distúrbio.

Contudo, para quem deseja engravidar, hoje já existem técnicas de fertilização artificial que podem auxiliar na concretização desse sonho. Esses métodos utilizam alta tecnologia, bem como óvulos congelados antes do início do tratamento, para obterem altos níveis de sucesso entre as mulheres que passaram por esse tipo de distúrbio.

Como funcionam as técnicas de gravidez após câncer de mama?

De maneira geral esse tipo de método começa logo após o diagnóstico da doença. Profissionais irão coletar óvulos saudáveis da mulher e os congelam.

Em seguida, a paciente irá passar por todo o tratamento para se livrar da enfermidade. Uma vez que o câncer tenha sido curado, é feita a fertilização in vitro, utilizando o óvulo que foi congelado e o esperma do parceiro, ou até mesmo de algum doador anônimo.

Depois, o profissional insere os embriões no útero da mulher. Além disso, na maioria dos casos de mulheres que passarão por um câncer de mama, também é feito um tratamento com medicação.

O objetivo é evitar a superconcentração de estrogênio, que é comum durante as etapas desse procedimento. Dessa maneira, a paciente consegue passar por um processo mais seguro.

Segundo um estudo feito com 131 mulheres de até 41 anos de idade e que tiveram câncer de mama, cerca de 50% conseguiu engravidar por conta das técnicas de reprodução assistida.

Um dos fatores essenciais para garantir o sucesso foi a coleta dos óvulos antes do início do tratamento contra o câncer. Além disso, especialistas também recomendam que o processo de fertilização só aconteça depois de cinco anos após o fim do tratamento.

Uma coisa que é preciso ter em mente quanto a esse procedimento para engravidar depois da doença é que existem contraindicações. Mulheres que já tem um histórico de trombose, ou que passaram por quadros de hipertensão e doenças no fígado, não devem fazer esse tipo de procedimento, por conta dos ricos altos.

Quando o assunto é gravidez após câncer de mama, é muito importante que você converse com o seu médico. Se você tem interesse em engravidar, comunique o seu especialista, ele poderá dar todas as orientações para que o seu sonho se torne realidade.

outubro rosa e gestacao