Os sintomas de depressão pós-parto, assim como o da depressão “convencional” muitas vezes chegam discretos e quase imperceptíveis. Engana-se quem acha que esse distúrbio é caracterizado por agressividade e extrema aversão a criança.

Na verdade, dificilmente ele chega a esse tipo de nível. De maneira geral, a mãe não consegue se sentir feliz com a situação em que se encontra. Pelo contrário, é tomada por uma tristeza, uma sensação de deslocamento e abandono.

E todos esses sintomas de depressão pós-parto acabam prejudicando a criação de vínculo entre a mãe e o bebê, e futuramente pode causar problemas no relacionamento de ambos.

Para saber mais sobre o assunto, continue lendo esse post, e descubra os principais sinais e como é diagnosticado a depressão pós-parto. Confira!

Principais sinais de depressão pós-parto

Os sintomas de depressão pós-parto muitas vezes chegam de maneira sútil. E como existe todo um tabu em torno dessa doença, muitas mulheres acabam tentando “ignorar” ou “fingir que eles não existem”.

Mas a identificação e rápida busca por um profissional é fundamental para o sucesso do tratamento desse distúrbio. Entre os principais sinais estão:

  • Falta de prazer ou interesse em fazer em atividades diárias;
  • Isolamento;
  • Pensamento na morte ou suicídio;
  • Grande ganho ou perda de peso;
  • Distúrbios do sono;
  • Distúrbios alimentares;
  • Indisposição ou Inquietação constante;
  • Muito cansaço;
  • Excesso de sentimento de culpa ou indignação da condição de mãe;
  • Dificuldade para tomar decisões e se concentrar em atividades rotineiras;
  • Ansiedade;
  • Desconexão com o bebê e pessoas ao redor;
  • Pensamentos confusos e desorganizados;

Em casos mais graves, principalmente quando os primeiros sintomas de depressão pós-parto são ignorados, outros mais sérios podem surgir, tais como:

  • Vontade extrema de prejudicar as pessoas ao redor, a si mesma e até mesmo o bebê;
  • Mudanças drásticas de comportamento e humor;
  • Pensamentos delirantes;
  • Alucinações de diversos tipos.

O que pode desencadear a depressão pós-parto?

A depressão pós-parto pode ser gerada por uma série de fatores. Como o corpo e a mente da mulher passam por transformações grandes, tudo pode desencadear esse distúrbio.

Mas entre os principais fatores de risco estão:

  • Gravidez não planejada;
  • Histórico familiar;
  • Falta de apoio do companheiro, família ou amigos;
  • Quadro anterior de depressão;
  • Estresse e ansiedade;
  • Violência doméstica.

Como é feito o diagnóstico desse distúrbio?

O diagnóstico desse distúrbio é feito por meio da observação dos sintomas de depressão pós-parto. Eles surgem até quatro semanas após o nascimento da criança, e podem surgir em diferentes graus.

Apenas um profissional de saúde poderá avaliar os sinais e indicar se é esse realmente o distúrbio, ou se a mãe pode estar sofrendo outro tipo de doença. Além disso, ele indicará o nível do distúrbio e o melhor tratamento.

Dependendo do caso, o profissional pode indicar desde o acompanhamento de um terapeuta, até mesmo a prescrição de antidepressivos e terapias complementares.

Por isso, caso você identifique qualquer um desses sintomas de depressão pós-parto, não deixe de procurar um profissional. Esse tipo de distúrbio nunca deve ser encarado como fraqueza ou até mesmo “desvio de caráter”. Esse é um problema sério, que precisa de acompanhamento médico para ser tratado.

hipoglicemia na gestaçãoSexo na gravidez