A gravidez anembrionada é um problema que pode gerar um momento de decepção e dor para muitas mulheres.

E como esse é um assunto ainda pouco debatido, a maioria delas sequer faz ideia do que esse tipo de gravidez representa e como ela pode afetar a sua vida fértil.

Nesse artigo, vamos explicar tudo sobre o assunto. Desde o que é, até se ele pode ou não comprometer as chances de uma mulher engravidar. Confira

O que é a gravidez anembrionada?

A gravidez anembrionada nada mais é do que uma gestação sem o desenvolvimento do embrião.

O saco gestacional se desenvolve normalmente, e o óvulo fertilizado pelo espermatozoide se implanta no útero, mas não se desenvolve.

O grande problema desse tipo de gravidez é que o corpo continua a produzir hormônios da gestação, mesmo sem um embrião estar ali. Logo, a mulher acaba tendo todos os sinais típicos de gravidez, como o aumento dos seios, sono excessivo e inchaços.

Como esse tipo de gravidez é descoberto?

De maneira geral, a gravidez anembrionada é descoberta logo nas primeiras ultrassonografias, uma vez que por meio desse exame é possível identificar a falta de um embrião desenvolvido.

E segundo especialistas, esse tipo de distúrbio é responsável por 20% dos abortos espontâneos em gestações humanas.

Caso seja identificado um caso de gravidez anembrionada, existem algumas coisas que podem ser feitas. A mulher pode aguardar até que o aborto espontâneo seja feito,  que não é o mais seguro, ou o médico pode fazer uma aspiração ultra uterina, para retirar o saco gestacional sem um embrião desenvolvido.

A gravidez anembrionada pode levar a mulher a não ter mais filhos?

Não, esse é um mito que existe em torno do assunto justamente pela falta de debate sobre esse tema.

Geralmente a gravidez anembrionada ocorre de forma esporádica e isolada. A mulher pode sim ainda ter filhos e tentar uma gravidez natural.

Se por ventura esse distúrbio acontecer mais de duas vezes, é necessário fazer exames para verificar se não existe algum problema de fertilidade, seja na mulher ou no homem.

Fatores de risco dessa gravidez

Existem alguns fatores de risco que podem contribuir com uma gravidez anembrionada, como:

  • Primeira gestação;
  • Se a mulher tiver mais de 35 anos de idade;
  • Fatores genéticos;
  • Maus hábitos de saúde como o tabagismo e o consumo de álcool;
  • Homens com mais de 40 anos, uma vez que os espermatozoides tem mais chances de terem defeitos genéticos;
  • Algumas doenças crônicas;
  • Consumo excessivo de medicamentos que podem gerar aborto entre outros.

A gravidez anembrionada pode ser prevenida?

Além de manter um acompanhamento periódico, e ter bons hábitos diariamente, a mulher pode evitar a gravidez anembrionada ingerindo ácido fólico durante dois meses antes da concepção. Sempre sob orientação médica.

O homem também deve manter hábitos saudáveis e consultar um especialista para avaliar se tudo está normal em sua saúde sexual, como quantidade e qualidade dos espermatozoides.

Por conta da gravidez anembrionada e de outras complicações que podem surgir é que é fundamental a mulher começar o pré-natal o quanto antes. Por meio dele que o médico poderá dar todas as orientações necessárias, caso identifica algo errado.

gravidez e exercício físicocoito programado