A gravidez aos 40 anos é algo que vem acontecendo com bastante frequência entre o público feminino.

Nesse caso, as chances da gravidez ser bem sucedida é de apenas 5%. Apesar disso, muitas mulheres têm optado por gerar um filho de maneira tardia, para priorizar outros aspectos da sua vida como trabalho e carreira, por exemplo.

Se você também pensa dessa forma e deseja engravidar a partir dos 40 anos, saiba que é necessário tomar alguns cuidados extras.

E nesse post, você saberá mais sobre o que uma mulher que deseja engravidar depois dos 40, precisa fazer para ter mais chances de uma gestação de sucesso, e também com saúde.

Confira!

As chances de gravidez aos 40

O período mais fértil da vida de uma mulher ocorre antes dos seus 35 anos. A partir desse período, as chances de sucesso só caem.

A gravidez natural aos 40, por exemplo, tem uma chance bem menor de ocorrer, sendo menor que 5% ao mês. Contudo, existem alguns tratamentos que podem ajudar nessa questão, e aumentar a fertilidade da mulher que deseja ser mãe nessa idade.

A inseminação artificial e a técnica de fertilização in vitro (FIV), são duas possibilidades muito populares. Elas são realizadas em clínicas de reprodução, e conseguem elevar a taxa de sucesso, mas esta gira por volta de 20%, pois dependem da qualidade dos óvulos, que envelheceram com a idade.

No caso da FIV, onde é possível usar óvulos de terceiras, a taxa de sucesso podem superar os 60% por mês, quando a doadora é mais jovem.

Os riscos de uma gravidez aos 40

Mulheres mais velhas que desejam engravidar precisam conhecer os riscos de uma gravidez aos 40. Por conta da idade mais avançada na questão reprodução, as chances de complicações são maiores. Tanto que, automaticamente, a gestação é encarada como de alto risco.

Os riscos maiores são relacionados ao desenvolvimento de alguns distúrbios como diabetes gestacional e até mesmo hipertensão. Além disso, o índice de abortos espontâneos também sobe drasticamente.

Outro problema recorrente é a distocia funcional. Esse é um distúrbio caracterizado pela não evolução adequada do trabalho de parto, que pode envolver desde a ausência de contrações, até falta de dilatação.

Mais um risco é em relação aos partos prematuros. A taxa de nascimentos do gênero chega a 15%, justamente por conta de complicações como a diabetes gestacional e hipertensão.

O bebê também pode ter algumas complicações por conta da gravides aos 40 da mãe. Uma das mais comuns são as alterações cromossômicas numéricas ou estruturais, como a síndrome de Down.

Cuidados em relação a gravidez tardia

Por conta dos riscos da gravidez aos 40, é importante tomar alguns cuidados importantes. O primeiro deles é manter um acompanhamento periódico com um obstetra, de preferência, que tenha experiência no assunto.

Além disso, é importante manter cuidados básicos como uma alimentação balançada, evitar muito esforço, ter atenção redobrada em relação a ingestão de medicamentos e etc.

Apesar das chances serem menores, uma gravidez aos 40 é totalmente possível. Tudo é uma questão de procurar o profissional certo que possa te orientar sobre os melhores tratamentos, os riscos envolvidos no processo, bem como os cuidados a serem tomados para garantir uma gestação mais tranquila.

Uma opção em tratamentos de FIV é a biópsia de embriões, onde células do embrião são retiradas e analisadas em laboratório. Desta maneira, uma análise cromossômica mostra se aquele embrião tem o número correto de cromossomos. Se o embrião possuir um resultado normal deste exame, trará uma gravidez com taxas de abortamento e síndrome de Down menores que de uma mulher jovem.

Ficou com alguma dúvida sobre a gravidez aos 40? Então aproveite para deixar o seu comentário abaixo e vamos bater um papo sobre o assunto.

durante a gestaçãogravidez de gêmeos