1) A mulher planejou ter parto normal, entrou em trabalho de parto, foi para a maternidade, ficou horas a fio tentando, mas o médico avisa que não vai ter jeito e terá que se submeter a uma cesárea. Por que isso acontece? O bebê pode mudar de posição dentro da barriga nos últimos momentos?

O parto vaginal precisa que uma série de fatores estejam em perfeita sincronia. O osso da bacia materna deve ter formato e tamanho adequados, as contrações devem ser eficientes e ritmadas, o colo do útero deve se dilatar completamente, a bolsa das águas deve ter líquido suficiente e límpido, o coração do bebê deve estar ritmado na freqüência correta, o cordão umbilical deve estar livre, o peso fetal deve ser proporcional a mãe e a posição da cabeça fetal deve ser fletida, ou seja, com o queixo encostado no pescoço para poder passar pela bacia materna sem maiores dificuldades. As vezes um dos mecanismos do parto falha e é necessária a intervenção cirúrgica para o nascimento e faz-se a cesárea.

2) Que anestesia é dada para fazer cesárea?

Tanto a raquianestesia, como a peridural ou mesmo a anestesia geral podem ser utilizadas de forma segura para a cesariana. Será escolhida aquela que melhor atenda a necessidade de mãe e feto no momento do parto.

3) Há casos em que a cesárea é previamente marcada. Nesse caso, o que é melhor para a mãe: dar à luz de manhã (e passar o dia recebendo a vidita de parentes e amigos), ou à noite (e assim ter um tempinho para descansar)?

Sim, alguns casos podem necessitar de agendamento prévio da cesárea e, nestes casos, existem prós e contras segundo dias e horários escolhidos. O jejum durante o sono é mais facilmente tolerado favorecendo cesáreas pela manhã, mas visitas no pós operatório imediato podem aumentar o cansaço e até as dores do pós operatório, o que não acontece em partos vespertinos ou noturnos. O mesmo pensamento para partos em dias de semana versus fins de semana, no primeiro caso haverá mais visitas em casa e no segundo, o hospital será mais procurado. O importante é não perder o foco sobre a saúde de mães e filhos e escolher a data mais segura para a saúde de ambos!

4) Quais os cuidados nos pós-operatório?

Caminhar o mais breve possível, manter dieta laxativa e hidratação, não falar demais para evitar aumento de gases, manter tempo para visitas sem esquecer do tempo de repouso e de amamentação ( mães e filhos precisam de tempo e tranquilidade para se conhecerem e se adaptarem principalmente com a amamentação), usar medicações conforme prescrição médica, evitar esforços e pesos, avisar a equipe de enfermagem ou médico sobre dúvidas e dificuldades, e a melhor parte, curtir o carinho de familiares e amigos e de seu bebê!

gravidezfertilidade