1) O que é e como se define uma gravidez de alto risco? Quais são os reais riscos para a mãe e o bebê nesse caso?

A gravidez é chamada “de alto risco” quando a gestante ou o concepto/bebê apresentam alguma doença que aumentam as chances de evolução desfavorável da gravidez.

Algumas mulheres sabem de seu alto risco mesmo antes de engravidar, são mulheres com doenças crônicas como: hipertensão, diabetes, cardiopatia, doenças renais, doenças auto-imunes, tabaquistas, alcoolistas, usuárias de drogas, entre outras.

Mas alguns agravos de saúde podem se instalar já durante a gestação de uma mulher previamente saudável, descobertas durante o pré natal e é por isso que, mesmo gestantes de “baixo risco”devem fazer rigoroso acompanhamento médico durante toda a gravidez.

Os “riscos”ou complicações possíveis da evolução desfavorável da gravidez são muito variados: baixo ou alto peso ao nascer, parto prematuro, falência placentária, infecção neonatal, entre outros. Mas não se assuste, o adequado acompanhamento pré natal pode minimizar os riscos e culminar com um nascimento saudável! Procure seu médico!

2) Qual é a diferença entre gases e cólicas na gestação? Como faço para aliviar os dois incômodos?

Tanto útero como intestino sofrem grandes variações durante a gestação. O útero multiplica de volume rapidamente desde o início da gestação, acumula líquidos e pode causar cólicas e desconforto em baixo vente e vagina. O intestino torna-se vagaroso devido a mudanças hormonais e também a mudanças de hábitos de vida da gestante, que muitas vezes diminui o ritmo de atividade física e a ingestão de verduras e legumes crus fora de casa para evitar risco de toxoplasmose.

Cólicas e gases, portanto, são comuns na gestação mas, na maioria dos casos, não representam qualquer risco.
Gases devem melhorar após o funcionamento intestinal ou mesmo após a liberação dos gases, que pode ser estimulada com exercícios físicos leves e de moderada intensidade e com medicação anti gases.
Cólicas podem melhorar com repouso e medicações específicas, e também não devem gerar preocupações quando de leve intensidade.

Mas lembre-se sempre, em caso de dúvida ou maior incômodo, procure seu médico!

gestanteGravidez