3 Tópicos que você provavelmente não sabia sobre gravidez

Engravidar é passar por uma transformação no corpo, na mente e na vida de um modo geral. São muitos mitos, verdades, especulações e curiosidades em torno deste tema que é de interesse não só das futuras mamães e papais, mas também daquelas que planejam um dia ter um bebê.
Alvo de pesquisas científicas, da curiosidade humana, de especialistas e de quem mais possa se interessar, a gravidez é um fenômeno incrível e cada fase é uma caixinha de surpresas. Descubra 3 tópicos que você provavelmente não sabia sobre isso:

1. O cérebro da mãe muda por até dois anos após o parto

A enxurrada de hormônios que afeta as mães durante a gravidez não reflete apenas na barriga crescendo ou nas mudanças emocionais. Um estudo publicado em 2016 na revista Nature Neuroscience revelou pela primeira vez na ciência que a massa cinzenta do cérebro das mulheres gravidas muda durante a gravidez.

As áreas afetadas compreendem a cognição social, pensamentos e intuições e o destaque destas conexões sugerem que os laços maternos são reforçados com o bebê por causa deste período. Para a pesquisa, os cientistas fizeram uma ressonância magnética no cérebro de 25 mulheres antes e depois da gravidez e repetiram o processo com os pais que não apresentaram alteração.

2. Os bebês também sentem a hora do parto

O momento do parto é um dos mais delicados, temidos e emocionantes da vida de uma gestante. Seja natural ou cesárea, a fase exige preparo emocional, esforço físico e causa dor/desconforto que pode ter intensidade variada conforme a mulher e a condição da gravidez. O que pouca gente (ou quase ninguém sabe) é que no parto normal por exemplo, o bebê sofre uma pressão que equivale a aproximadamente 2 kg em cada centímetro da cabeça antes do nascimento. Contudo, antes dos pequenos virem ao mundo, o organismo libera um hormônio sedativo no sangue que bloqueia o cérebro de qualquer sensação de dor.

3. A alimentação da mãe ajuda a formar o paladar do bebê

Antes mesmo de nascer, a criança já desenvolve previamente as funções do olfato e do paladar. É por meio do líquido amniótico, que ainda no útero o bebê absorve os nutrientes que a mãe consome durante a gestação e isso ajuda a compor as primeiras experiências de sabores que podem influenciar a fase após o nascimento. Se a mãe consome muita cenoura, por exemplo, a criança dificilmente recusará esse alimento quando começar a comer.

Todo esse processo começa na 14ª semana de gravidez e dura em média até os 3 anos de idade. Por isso, uma dieta balanceada, com nutrientes e o cuidado com a saúde e tão importante para o bem-estar da mãe e o desenvolvimento do neném.

Start typing and press Enter to search

reprodução assistidacâncer e a fertilidade